Editor do Website / Membro Titular da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU). CREMERS 28361 / RQE 20242
 
 
   
ENTRE EM CONTATO
Fone: (51) 3378.9995
America Business Square
Rua Soledade, 569 Conj. 907B
Três Figueiras - 90470-340
 
 
 
DOENÇAS E MODALIDADES DE TRATAMENTO
Cistite de Repetição

 

As infecções do trato urinário baixo (ITU), ou cistites, são muito comuns em mulheres. Estima-se que 50 a 80% das mulheres apresentarão ao menos um episódio de cistite ao longo da vida.

 

20 a 50% das mulheres com diagnóstico de cistite poderão apresentar recorrência, caracterizada quando a paciente relata três episódios de cistite em um ano ou dois episódios em seis meses. O novo quadro de ITU poderá ser uma reinfecção (quando causada por uma nova bactéria) ou recidiva (quando for a mesma).

 

Após o primeiro episódio de ITU, a paciente se torna mais suscetível a novos eventos. A maioria das mulheres descreve o primeiro diagnóstico dessa infecção quando jovens e no período de atividade sexual (“cistite da lua de mel”). É também comum o relato de histórico familiar de cistite de repetição. Fatores genéticos e ambientais estão envolvidos.

 

A atividade sexual está fortemente relacionada ao surgimento de ITU. Mulheres que informaram relacionamento sexual no último mês possuem seis vezes mais chance de desenvolver as infecções. Mulheres jovens que utilizam espermicidas apresentam cinco vezes mais chance de ter cistite.

Outros fatores de risco são:

  • diabetes mellitus
  • presença de cistocele (“bexiga caída”)
  • retenção de urina ou incontinência urinária

 

É importante ressaltar que raramente é o parceiro que transmite a ITU. A maior parte dos germes que causam as infecções está presente no intestino e pode migrar para a vagina e bexiga.

Cerca de 80 a 85% das infecções urinárias são causadas pela bactéria Escherichia coli (E. Coli). Os demais casos se devem a outros agentes. Uma das causas de cistite de repetição é o desenvolvimento de resistência bacteriana a certos antibióticos. É por isso, que a automedicação deve ser desestimulada; o médico (urologista) deve ser sempre consultado antes de iniciar o tratamento para infecção urinária.

 

O principal ponto no tratamento e na prevenção da cistite de repetição é administrar o antibiótico necessário pronta e adequadamente. Algumas medidas podem ser tomas após o término do medicamento para evitar novos episódios. Manter um antibiótico em dose menor e por tempo prolongado (6 meses a 1 ano) é uma delas (Antibiótico supressivo). Pode-se também utilizar o suco ou cápsula da fruta cranberry (embora os estudos não sejam unânimes em demonstrar sua eficácia). A “vacina” para a bactéria E. Coli também pode ser uma opção a ser considerada (Urovaxon).

O urologista é o médico mais indicado para avaliar de maneira global a paciente com cistite de repetição e prescrever o tratamento mais apropriado. Contudo, algumas medidas comportamentais devem ser instituídas:

  • Evitar ficar longos períodos sem urinar
  • Tomar líquidos em quantidades apropriadas (especialmente em dias quentes)
  • Combater a constipação intestinal (“intestino preso”)
  • Fazer a adequada higiene da genitália
  • Estimular a prática de exercícios físicos

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

Campbell-Walsh UROLOGY, 9th Edition

Sociedade Brasileira de Urologia (SBU)

 

Data de criação: 12 de Dezembro de 2010

Data da última modificação: 21 de Janeiro de 2011

 




Tags: cistite | cistites | infecção urinária | infecção urinária de repetição | antibiótico | vacina |
 
 
         
AVALIE SEUS SINTOMAS
 

Tabelas de Partin

IPSS - International Prostatic Symptom Score

Escala de Sintomas do Envelhecimento Masculino

Nomograma Sobrevida Livre de Recidiva Bioquímica após Prostatectomia Radical Retropúbica

Questionário de Avaliação de Bexiga Hiperativa - OAB - V8

Diário Miccional (Modelo)

AGENDA DE EVENTOS
 
31/12/2014 - 3RD INTERNATIONAL NEURO-UROLOGY MEETING - ZURIQUE/SUÍÇA

"O Dr. Márcio Averbeck foi convidado a palestrar no congresso realizado pela Swiss Continence Foundation (Fundação Suíça de Continência) na Universidade de Zurich no final do mês de Agosto/2014. O Dr. Márcio foi o representante da América Latina neste importante evento e palestrou sobre "cateteterismo vesical" e sobre "tratamento da impotência sexual em pacientes lesados medulares"."

 

01/08/2014 - CONGRESSO COLOMBIANO DE UROLOGIA

"O Dr. Márcio Averbeck participou como palestrante no Congresso Colombiano de Urologia, realizado em Cartagena de las Índias no mês de agosto de 2014. O tema da palestra foi o tratamento da incontinência urinária masculina, incluindo o implante de slings e do esfíncter urinário artificial. O Dr. Márcio foi honrado com o título de "Membro Correspondente Estrangeiro" da Sociedade Colombiana de Urologia, recebendo certificação das mãos do Dr. Maurício Plata - Presidente da S.C.U., em cerimônia oficial no dia 16/08/2014."

 

 

 

         
 
Dr. Márcio Augusto Averbeck - Todos os Direitos Reservados